La Medalla Milagrosa de Paris

La Medalla Milagrosa de Paris y su historia es anterior a la Compañía de las Hijas de la Caridad, fundada en 1633, fue la obra maestra que hicieron juntos San Vicente de Paúl y Santa Luisa de Marillac. La compañía, fiel a su vocación, se expandió a través del mundo entero. Cuando un día, de 1830, entró al Seminario (noviciado) en la Calle (rue) du Bac, una joven de Borgoña, 24 años.
Las apariciones de la Virgen María a Catalina Labouré y la difusión de la Medalla Milagrosa, fueron seguidas por una extraordinaria renovación y un aumento de las vocaciones, tanto entre las Hijas de la Caridad, como entre el Padre de la Misión. El fervor se volvió muy fuerte en el lugar.
Con el pasar de los años, la compañía continúa con su servicio de acuerdo al espíritu de los Fundadores: la humildad, la sencillez y la caridad.
En la actualidad, las Hijas de la Caridad están presentes en los cinco continentes, en 91 países, incluidos los más pobres. Son alrededor de 20.000 en todo el mundo. Siendo en Europa cerca de 13.000. Y en sólo Francia son 1000 aproximadamente.

Paris ya tiene su primera tienda Duty Free en línea

Brasileiros já podem comprar souvenirs de Paris com desconto,  antes mesmo de viajar!

Lojas distantes da maioria dos monumentos e um comércio de rua ostensivo -  e muitas vezes sem regularização. Em Paris, essa é a realidade dos muitos  viajantes brasileiros que visitam a cidade e querem fazer compras fora do circuito de luxo. 

A novidade do Outlet Amigo (www.outletamigo.com) é justamente eliminar esses obstáculos. Lançado em abril de 2014, o Outlet Amigo já é um grande sucesso e tem chamado a atenção não somente de turistas estrangeiros, mas também de clientes franceses, como mostra recente artigo publicado no jornal Le Parisien. Leia aqui.

A primeira loja on-line duty free da França funciona 24 horas, 7 dias por semana, com entrega
expressa em qualquer endereço da capital Francesa. Os turistas brasileiros podem ainda se beneficiar do reembolso de imposto, conhecido como Detaxe. 

Torre Eiffel em miniatura, produtos oficiais do PSG (alguns dos quais vendidos exclusivamente no site, como camisas dos jogadores brasileiros Lucas e Thiago Silva), porta-copos e ímãs de geladeira com motivos franceses, perfumes e vinhos, são apenas alguns dos produtos oferecidos pelo Outlet Amigo. A loja on-line dispõe de um portfólio amplo de artigos típicos, de boa qualidade e com preços acessíveis.
 
Todas compras efetuadas no site são entregues nos hotéis ou locais de hospedagem em Paris, muitas vezes em questão de horas. Na região metropolitana da capital francesa as entregas são realizadas em 48 horas.

 Ricardo Blanch, diretor-presidente e fundador do Outlet Amigo explica como surgiu a iniciativa: "O turismo está se tornando mais curto. Antes os estrangeiros vinham para passar uma média de 7 a 8 noites em Paris. Atualmente o tempo de permanência caiu para 3 a 4 noites. Os viajantes dividem o tempo corrido entre museus e monumentos. Quando param  para fazer pequenas compras, geralmente é durante uma rápida visita a Montmartre. Os visitantes, então, acabam cedendo às compras de última hora, muitas vezes no aeroporto mesmo, onde os preços são exorbitantes e o tempo é curto antes da decolagem", avalia Blanch.

Chegada e saída de Paris

Simplifique sua chegada a Paris

Chegar a Paris e pegar transporte público é realmente o mais adequado? Será que estamos economizando tempo e dinheiro de verdade?

Foi preciso viajar muitas vezes à Cidade Luz - e experimentar as mais variadas formas de transfer - até fazer as reflexões que seguem.

Não é todo dia que se faz uma viagem para a Europa e comprando os serviços no seu país de origem você ganhará  tempo, evitará problemas, e, finalmente, pagará menos, principalmente se você não fala francês.

O aeroporto Charles de Gaulle-Roissy (CDG), localizado a 25 quilômetros de Paris, é o maior da França, o principal de Paris e um dos mais importantes e movimentados da Europa e de todo mundo. Recebe  cerca de 500 mil passageiros por dia e as maiores companhias aéreas do mundo operam lá.  

Apesar de toda sua estrutura receptiva, o CDG dispõe de opções limitadas para o deslocamento dos viajantes. É claro que para os padrões brasileiros a infraestrutura é boa e os serviços de trem e ônibus funcionam a contento, mas para quem chega e parte de Paris com bagagens ou horários apertados - e com pouco tempo a perder em deslocamentos – a realidade é outra.

Em primeiro lugar dificilmente você pegará um ônibus ou trem diretamente para o seu local de hospedagem. Nisso já serão duas passagens pagas. As estações de metrô parisienses raramente dispõem de escadas rolantes. Carregar malas subindo degraus é cansativo e, dependendo do horário de chegada, você ainda vai se sentir mal, atrapalhando o fluxo de ida e vinda de moradores apressados, a caminho de seus respectivos destinos e compromissos.

Caso pegue um ônibus, muitas das linhas fazem percursos demorados, passando por diversos bairros da periferia até de chegar às localizações mais centrais da cidade.

Táxis ? Bem, táxi em aeroporto não é muito diferente de como funciona no Brasil. Eles cobram pelo trajeto e também pelos minutos parados nos engarrafamentos. Sem querer dizer que todos tomarão o caminho mais longo e difícil, alguns terão esse comportamento. Isso não só nos impede de estimar o custo, como também pode se tornar um desperdício de tempo e dinheiro. Sem contar os taxistas que falam ao celular e andam a velocidades de mais de 160km por hora (garanto : isso é um fato real!).

Além disso, um levantamento feito pelas empresas de translado na França aponta que um em cada 10 passageiros acaba por esquecer algum objeto dentro do veículo. Ou porque deixa cair ou por distração, em função do cansaço, após horas em um avião. E a probabilidade de encontrar o que foi perdido ou esquecido em um táxi é mais remota ou, no mínimo, mais trabalhosa.

Não é difícil encontrar turistas carregando malas pelos ônibus, linhas de metrô e calçadas parisienses após 15 horas de deslocamento entre voos e escalas do Brasil a Paris. No fim da viagem, já no avião de volta, devem se perguntar ‘’por que, raios, a gente fez isso ?’’. Muitas vezes estes turistas estão em grupo, ou no mínimo em dupla, numa viagem pela Europa com duração média de um mês, cada um com uma mala bem grande. Poderiam, no mínimo, terem divido um traslado. O dinheiro gasto a mais não teria sido tanto a mais e compensaria pela tranquilidade.

Depois de situações desconfortáveis como essas, o recomendado é contratar os trasladosde chegada e partida. Há em Paris empresas experientes e com motoristas falando português. Os traslados são, depois do seu voo, o mais importante a ser contratado para aproveitar melhor sua viagem. 

Ana Paula Cardoso é jornalista e colaboradora da Minha Paris